eduardo e mônica

o poema
não é
para você
sobre você
ou uma
tentativa
de lhe
contar
segredos
nas
entrelinhas

há muito
que musas
residem
em tumbas
e poetas
são
perdigueiros
caçadores
de
carniça

não tem
ponto
vírgula
ou
exclamação
sobre
a
angústia
de lhe
ver
encarnada

o poema
é apenas
o açoite
sórdido
do
que
nunca
será
solitude
sempre
será
a mais
devassa
solidão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s