por acaso a casa

a casa tem vida
movimento
distração
tem foto
na parede
louça
na pia
falação

mas a casa
tem segredos
obscuros
sorumbáticos
e perversos

tem choro
ao longe
nas noites
frias
gemidos
dispersos

tem ritual
de baixa
densidade
no
astral

a comunhão
pacífica
é apenas
uma
fachada
virtual

a casa
testemunha
o poema
dos
ordinários
o acorde
dos
hipócritas
a vontade
reprimida
dos
acuados
os
degenerados
moabitas

até
o
dia
que
a
chama
da
vela
tocar
a madeira
e virar
fogaréu
a casa
seguirá
sendo
um
inferno
dissimulando
ser
céu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s