desespiritualidade

a memória
da sua
inexorável
perversidade
é uma prisão

o galo canta
ou chora
quando
me recorda
das notívagas
baladas
dentro
do cativeiro
do seu
apartamento

a luz se apaga
quando o sol
nos agride
com a crueza
de um novo
ciclo

a noite
não dura
eternamente
como nossos
lençóis
nos
prometeram

nosso amor
não dura
é apenas
uma
síndrome
de
abstinência
demorada
amarga
e
profunda

e rezamos
para
sumir
para
o nosso
deus
da
indiferença

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s