te ver e não te querer

e o verso
que se
repete

a ânsia
que
se
derrete
nas
entranhas
da melancolia

neve
nos trilhos
afoitos
da
poesia

pouco
me
procuro
quando
te
encontro
fazendo
mel
na
saliência
do meu
inimigo

tampouco
quero
vingança
não almejo
ter prazer
ter paz
ou
ter
esperança

nunca fizemos
realmente
par
nunca
salivamos
o
desejo
de uma
mesma
dança

3 comentários em “te ver e não te querer”

Deixe uma resposta para Ana Martins Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s